Início » Sem categoria » Carta do Dr. Thomas Neumann ao jornal O Globo

Carta do Dr. Thomas Neumann ao jornal O Globo

K & N
Postfach 6007. D-97010 Würzburg
Leistenstraße 7 . D-97082 Würzburg
Tel. +49 (0) 931 / 32 98 70-0
Durchwahl +49 (0) 931 / 32 98 70-18
Fax: +49 (0) 931 / 8 36 20
info@koenigshausen-neumann.de
www.koenigshausen-neumann.de

Gerentes:
Dr. Johannes Königshausen
Dr. Thomas Neumann
Registergericht Würzburg HRB 4234

Deutsche Bank Würzburg
Kto.-Nr. 0109710, BLZ 790 700 24
Postgiro Nümberg
Kto.-Nr. 134914-852. BLZ 760 100 85

O Globo
Diretor de Redação

Sr. Ascânio Seleme
Rua Irineu Marinho, 35
Centro
20230-203 Rio de Janeiro, Brasil

 

16 de outubro de 2012
Neumann@koenigshausen-neumann.de

 

“Prezado Sr. Seleme,

Em artigo publicado por seu jornal, atribuíram a mim alguns boatos que estão causando mal-entendidos no Brasil e aqui na Alemanha. Gostaria que o senhor se abstivesse de usar meu nome e o de minha companhia como instrumento de campanhas ligadas a embates políticos em seu país.
É verdade que a Senhora Rita Rios entrou em contato conosco pela primeira vez como tradutora do português para o alemão. Ela traduziu uma obra de Boris Fausto para o alemão. Posteriormente, quando teve sua própria obra “Poemas e Pedras” publicada no Brasil, ela naturalmente me sugeriu uma tradução para o alemão desse livro. Como o senhor sabe, é assim que procede a maioria dos autores e é para isso que servem os editores. Aprecio muito o trabalho científico da Sra. Rios e desejei que seu livro integrasse o rol de publicações de nossa editora.
Mais de um ano depois, ao trabalhar como funcionária do Consulado-Geral do Brasil em Frankfurt, ela lembrou-se de nosso contato anterior quando o Embaixador Amaral comentou com ela sobre Saraminda, que teve algum êxito na França e necessitava de um editor alemão. Encontramo-nos por ocasião da edição de 2011 da Feira do Livro de Frankfurt, quando eu estava envolvido em outros assuntos, e naquela altura ouvi pela primeira vez que no Brasil existem Bolsas de Tradução, um programa de apoio à tradução de autores nacionais. Claro que conversamos sobre o livro e seu volume de vendas em outros países e, com minha experiência profissional como editor, fiz referência a projeções e vendas mínimas para cobrir os custos – que é meu negócio, nem é preciso repetir.
Nunca fizemos acordo com o Consulado-Geral do Brasil para que comprasse uma grande parte da tiragem a fim de arcar com os custos de produção.
Quanto ao livro, o autor é, como se sabe, uma celebridade, ex-presidente da República do Brasil, conhecido como político com presença diplomática não apenas em seu país. Como escritor de ficção, é membro de longa data da Academia Brasileira de Letras. Tudo isso levava a crer que Saraminda teria boas vendas e integraria nosso pequeno programa de Literatura, que estamos empenhados em desenvolver. Jamais afirmei que essa obra era totalmente incompatível com nosso programa de publicações.
Peço que leve isso em consideração e que incite seus jornalistas a reverem seriamente seus conceitos éticos!

Atenciosamente,
Editora Königshausen & Neumann Ltda.
Dr. Thomas Neumann”

 

Leia também: