Reforma Agrária

Na pauta da Aliança Democrática estava a criação do Ministério Extraordinário de Assuntos Fundiários. Sarney não gostou do desvio para evitar a expressão “reforma agrária”, que era maldita, correspondia a agitação, bandeira dos comunistas e radicais. No dia 30 de abril, criou o Ministério da Reforma e do Desenvolvimento Agrário.

O compromisso era implantar o Estatuto da Terra, harmonizar os conflitos no campo, acabar com a injustiça e violência que dominavam — e voltaram a dominar — o setor.

Nos 5 anos de governo foram desapropriados 4 milhões e 500 mil hectares, regularizados 4 milhões e 300 mil hectares, 10 vezes mais do que tudo que tinha sido feito nos 20 anos decorridos desde a implantação do Estatuto da Terra. Mais de 200 mil famílias foram beneficiadas.

 

Leia também: