Início » Blog » Xuxa e Sarney se reencontram na defesa dos direitos das crianças

Xuxa e Sarney se reencontram na defesa dos direitos das crianças

Na quarta-feira, para acompanhar a votação do Projeto de Lei da Câmara (PLC) 58/2014, conhecido como Lei da Palmada, a apresentadora Xuxa Meneghel foi convidada para ocupar uma cadeira na Mesa do Senado. Lá, ela reencontrou um amigo de longa data, o senador José Sarney (PMDB-AP), com quem participou de diversas campanhas em favor das crianças brasileiras.

 

Foto: Marcos Oliveira - Agência Senado

Foto: Marcos Oliveira – Agência Senado

image

A Lei da Palmada, rebatizada de Lei Menino Bernardo, em homenagem ao gaúcho Bernardo Boldrini, de 11 anos, encontrado morto em abril, em Frederico Westphalen (RS), foi aprovada em votação simbólica.

Após dar um longo abraço em Sarney, Xuxa comemorou a aprovação do texto, que proíbe os castigos físicos na educação das crianças. Mas ela ressalva que a lei não vai mudar, de uma hora para outra, a cultura do castigo violento que ainda está presente em muitas famílias. “A mudança de pensamento é uma coisa que vai demorar”, lamentou a apresentadora. “Ninguém vai ser preso por dar uma palmada, mas quem sabe um dia essas pessoas entendam que nem essa palmada é necessária. As pessoas devem entender que se pode educar uma criança sem violência. Quem sou eu para dizer como se deve educar um filho, mas eu sei que a violência não deve ser usada”, concluiu Xuxa, cercada por um batalhão de repórteres.

O senador José Sarney disse que a presença de Xuxa no plenário foi importante para reforçar aos parlamentares que a violência contra as crianças deve ser combatida por todos os segmentos da sociedade. “Xuxa é muito minha amiga, e a presença dela representa o longo trabalho (da artista) em defesa dos direitos das crianças”, disse Sarney.

De acordo com o projeto aprovado, que segue para sanção presidencial, crianças e adolescentes têm o direito de serem educados sem castigo físico ou tratamento cruel ou degradante. Constatada a agressão, os pais ou responsáveis ficam sujeitos a advertência, e podem ser encaminhados a tratamento psicológico e cursos de orientação, de acordo com o conselho tutelar da cidade na qual a família mora.

 

Leia também: