Início » Artigos » Um Governo Feliz

Um Governo Feliz

Os portugueses, nos tempos antigos da Colônia, quando realizavam uma obra costumavam colocar uma pedra com a inscrição “Governo Feliz”.

Quem for curioso e quiser ver pode dar uma olhada no princípio da grande murada que cerca a antiga Fortaleza, que verá uma pedra assim marcada. Para mostrar a atração da palavra “feliz”, uma das primeiras fábricas de pilar arroz do Maranhão, localizada na Rua da Madre de Deus, de João Gualberto da Costa, chamava-se “Feliz Esperança”.

Com o gosto do passado, ao fazer a primeira reforma do Palácio dos Leões — logo que consegui a devolução de sua metade que era ocupada pela Delegacia Fiscal, que nos foi devolvida pelo Presidente Castelo Branco — coloquei também uns azulejos que mandei fazer em Lisboa, dizendo: “Este Palácio foi restaurado no Governo Feliz do escritor (não pus Governador) José Sarney, 1966-1970.” Não sei se ainda está lá, pois mandaram retirar todas as referências a meu nome.

Mas digo estas coisas para repetir aquilo que disse no meu discurso de posse quando Governador em 65. “Um governo feliz é aquele que faz a felicidade do Povo.”

Fui eleito com a afirmação de que ia mudar o Maranhão, chegando a estabelecer metas — construir o Porto do Itaqui, fazer asfaltamento da São Luís -Teresina, criar a Universidade e escolas superiores, abrir estradas, construir a Usina de Boa Esperança, não perseguir ninguém, fazer um governo para todos os maranhenses sem distinção de partidos, pacificar o Estado. E não enganei o povo, fiz. Prometi mudar e mudei, prometi fazer grandes obras e fiz.

E sonhei com o futuro. Agora leio que a Universidade Federal criou um Curso de Altos Estudos Espaciais, nos moldes do ITA. Quando presidente autorizei os estudos para que o fizessem. Infelizmente não foi viabilizado. No meu livro “Maranhão, Sonhos e Realidade” se encontra o seguinte trecho, na página 179, edição de 2010, quando falo sobre as perspectivas do Maranhão do futuro:

“No domínio da alta tecnologia, temos a Base de Alcântara, que foi construída com recursos assegurados quando estive na Presidência da República. Será uma das melhores do mundo para lançamento de satélites, rivalizando com Kourou, Guiana Francesa, Cabo Canaveral, nos EUA; Baikonur, na Rússia; Xichang, na China.”

E acrescentei:

“O Maranhão terá chance de implantar UM CENTRO DE ENSINO TECNOLÓGICO, COMO O DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (ITA), NÚCLEOS DE TREINAMENTO PESSOAL E LABORATÓRIO DE TESTES DE SATÉLITES, ALÉM DE INDÚSTRIAS COMPLEMENTARES E ESPECIALIZADAS. Enfim, em torno do Porto do Itaqui e da Base de Alcântara surgirá um polo de alta tecnologia, que impulsionará o desenvolvimento industrial em escala condizente com nossa importância no Brasil da modernidade.”

Parabéns à UFMA. Isso é mudar o Maranhão. O resto é a frustação que tem o nosso Estado, esperando promessas que anunciam um novo tempo!

 

Leia também: