Início » Blog » Duas décadas depois, Sarney volta à Presidência da República

Duas décadas depois, Sarney volta à Presidência da República

15 de março de 1990, José Sarney chega cedo ao Palácio do Planalto para cumprir seu ultimo dever como presidente da República: a passagem da faixa presidencial para o então presidente eleito Fernando Collor. Foi uma cerimônia rápida, Sarney desce a rampa, acena para a multidão sob aplausos.

Depois de 22 anos, Sarney voltou a presidência da República. Quarto na linha sucessória, Sarney assumiu o cargo em razão de viagem oficial da presidenta Dilma Rousseff, do vice, Michel Temer e do presidente da Câmara, Marco Maia.

A transmissão de cargo ocorreu na quarta-feira, 12, na Base Aérea de Brasília antes do  embarque  para Portugal, do vice-presidente da República Michel Temer.

Aos 82 anos, com mais de 5 décadas dedicadas a política, Sarney disse que apenas cumpriu uma exigência constitucional de forma discreta.

Sarney comandou o Brasil de 15 de março de 1985 a 15 de março de 1990, foi responsável pela criação dos primeiros programas sociais do país, determinou a criação pelo Congresso de uma nova Constituição  e teve papel fundamental na redemocratização do país.

13 de dezembro
Na manhã da quinta-feira, 13, Sarney  recebeu os ministros da Justiça, José Eduardo Cardoso, das Relações Institucionais, Ideli Salvati, e a ministra-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Helena Chagas.

Mais tarde, a Ministra da Cultura, Marta Suplicy, fez uma visita cordial a Sarney e levou flores ao presidente em exercício. Os senadores Eduardo Braga, Antônio Carlos Valadares, Eunício Oliveira, Renan Calheiros e Romero Jucá, e, ainda, a deputada Marinha Raupp, também estiveram no encontro.

Durante o encontro, Na conversa com os senadores, Sarney relembrou episódios do passado. Ele contou que, quando era deputado federal, passava férias em Araxá (MG) com outros políticos quando eles perguntaram a uma vidente quem deles seria presidente. Ela apontou para Sarney. Anos depois, no Maranhão, outra vidente disse que Sarney seria presidente por duas vezes. O presidente em exercício brincou com os colegas dizendo que as premonições estavam corretas. Após ouvir a história, Marta sugeriu trazer a vidente a Brasília.

Após a visita da ministra e dos parlamentares, a presidenta Dilma Rousseff, em missão na Rússia, ligou para Sarney. Ela disse que estava muito feliz em saber que Sarney estava em seu gabinete no Planalto. Em seguida, a Ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, foi ao encontro do presidente em exercício.

No final do dia, ainda estiveram com Sarney o Advogado-Geral da União, Luis Inácio Adams, e a deputada Rose de Freitas, presidente em exercício do Congresso Nacional.

14 de dezembro
Na sexta-feira, 14 de dezembro, Sarney presidiu a cerimônia de transferência de cargo do Secretário-Executivo do Gabinete de Segurança Institucional – GSI da Presidência da República. Segundo Sarney, o destino lhe fez uma grata surpresa. O Gen Div, Roberto Sebastião Pternelli Júnior, que se tornou o novo Secretário-Executivo do GSI, havia feito parte da Casa Civil durante o Período em que Sarney foi Presidente da República e cuidou da segurança do então presidente. “É com satisfação que vejo o destino brilhante do General Peternelli”, disse o presidente em exercício.

Ao termino da cerimônia, emocionado, Sarney fez um discurso, no qual elogiou a presidente Dilma, chamando-a de “mulher extraordinária”.

 

 

Leia também: