Início » Artigos » Maranhão, petróleo e gás

Maranhão, petróleo e gás

A hora do Maranhão chegou. Abre-se aqui uma nova e espetacular frente de exploração de recursos naturais de alto valor produtivo.

Fui um daqueles que se queixavam do Criador por sido tão avaro com o nosso Maranhão em minérios. Cheguei a escrever isto no livro Riquezas e Pobrezas do Maranhão.

Mas mesmo nos momentos dessa constatação acrescentava que: Ele haveria de ter guardado escondido alguma grande riqueza que um dia vai nos revelar. E, profeticamente, acrescentava: é petróleo. Conhecia a existência da Bacia sedimentar de Barreirinhas, cuja exploração foi um fracasso nos anos 60 do século passado. Depois, presidente da República, mandando levantar todas as Bacias sedimentares do Brasil, deparamos com uma descoberta fantástica: uma gigantesca Bacia, com grandes índices de certezas, que se estendia do Alto do Parnaíba ao Cabo Norte, no Amapá, e grande parte dela ficava no Maranhão, no mar e terra a dentro até quase o sul do Maranhão. Não deu outra, graças a Deus. Uma coisa quase impossível na pesquisa de petróleo e gás, onde furam 10 poços e nove dão secos. Aqui a MMX e a Petra perfuraram em terra 9 poços e 9 deram gás, alguns com ocorrência de petróleo de alta qualidade muito melhor do que o de Campos no Rio.

Agora, me chega um furo (que não é de petróleo), mas jornalístico: o de que a perfuração que a Brilish petroleira do Brasil, associada à Petrobrás, está perfurando no mar, encontrou gás e petróleo! Esse pouco guardando agora, com a devida reserva essa notícia, eu a soube e não me aguentei, e estou soltando a língua. Em breve, com informações mais precisas, elas serão anunciadas. No momento, é só segredo!

Chegou de vez a nossa hora. O Maranhão, e isto já está confirmado, tem uma das maiores reservas de gás da América. A MMX já está construindo uma termoelétrica de 3.000 Megawatts em Santo Antonio dos Lopes. Isto é uma usina igual a Jirau, que tanto foi louvada no Brasil. Já construímos a Hidroelétrica de Estreito, estamos inaugurando em outubro a do Itaqui, de 500 Megawats.

A Petrobrás está construindo a maior Refinaria Premium, obra que teve o trabalho decisivo do ministro Edson Lobão, grande líder do nosso Estado, em Bacabeira, e, na região de Carutapera, descobre-se enorme reserva de ouro, já com uma fábrica instalada de grande produção.

Abro o jornal e vejo que o Itaqui bateu recordes cada mês, em maio foi um crescimento de 21,36% em relação abril. No primeiro trimestre, só de carga geral, 32 milhões de toneladas, excluídos minerais. Foram máquinas, caldeiras, automóveis, mármores, granitos, madeira, enfim, bens de produção que mostrou que serão destinados a fábricas, a empreendimentos. O emprego com carteiras assinadas é o maior do Nordeste, a nossa taxa de desemprego é a menor. Em todo lugar, do Sertão ao litoral, crescem o comércio, a indústria e os serviços.

Enquanto isso, no contrário do que dizem, teimam a dizer e proclamar para o Brasil que somos o estado mais pobre quando é bom repetir: somos e por resistir o 16º mais rico. Essa gente é que deseja que sejamos pobres, que tenhamos a ficha de miseráveis, para que eles possam ter falsidades para atacar o que fizemos pelo Maranhão nos últimos anos. Saímos de total estagnação para o desenvolvimento. Basta ver, não é preciso dizer.

Exemplo maior é agora com o Programa Pró-Saúde de Roseana. Construíram-se 64 hospitais, 10 UPAS e ações de saneamento e profilaxia.

Primeiro disseram que os hospitais não iriam sair do papel. Depois que não iam ser equipados; depois que não iam funcionar; e agora que estão equipados e funcionando que não têm doentes… Melhor não haver doentes que ter filas.

Mas as obras e o Maranhão vão em frente. O que é preciso é mais reformatórios para alguns aventureiros da política.

 

Leia também: